Estou triste, e agora?

By 25 de agosto de 2016Artigos

É quase que automático quando vemos alguém triste disparar frases semelhantes a um “não fique triste”. Aprendemos que ficar triste não é bom, muito pelo contrario, é algo que devemos evitar a todo custo. A tristeza talvez seja a emoção mais rejeitada por nós. Esse texto tem a função de mostrar o outro lado da historia da tristeza.

boneca-tristeza-divertida-mente-10-cm-sunny-516501-MLB20354379429_072015-F

Antes de falar um pouco mais sobre essa emoção é importante diferencia-la da depressão que é uma psicopatologia, onde há uma alteração química no cérebro do individuo e normalmente é acompanhado de sintomas recorrentes de cansaço, desânimo, falta de motivação, pessimismo, choro continuo, entre outros.

A tristeza acontece por uma constatação de algo negativo que já ocorreu e tem uma função importante para nossa sobrevivência. O psicólogo australiano Joseph Paul Forgas alega em sua pesquisa que quando estamos tristes tendemos a prestar mais atenção nos detalhes e em um pensamento analítico mais apurado, esse processo facilita a evocação da memória dessa situação e as suas conclusões, é uma espécie de defesa do nosso organismo para situações futuras. Agora entenda a problemática quando se evita essa emoção, nossos esforços em vez de estar concentrados em compreender a situação estará em não aceita-la e/ou ignora-la.

Agora você pode até esta pensando “ok, mas não é bem melhor estar alegre o tempo todo?”. Será? Quantas vezes você não estava tão feliz que fez ou disse algo indevido? Ou até mesmo esqueceu-se de algo importante que tinha que ser feito? A alegria sem sombra de dúvida é uma emoção muito prazerosa, mas seria desastroso se ficássemos com ela o tempo todo e em um nível muito elevado.

alegria-divertida-mente-boneca

Devemos aprender a entender nossas emoções para melhor lidarmos com elas. Não podemos simplesmente negar umas e idolatrar outras, cada uma tem sua importância.

 

Junior Bardi

About Junior Bardi

Psicólogo formado pelo Centro Universitário de Maringá (UniCesumar), especialista em terapia cognitiva pelo CTC Veda (cursando), Coaching pela International Association of Coaching Institutes (ICI), certificado de hipnose clínica pela International Hypnosis Association (IHA) e curso de existencialismo pela PUCPR, atua com terapia cognitivo-comportamental no tratamento de ansiedade, depressão, síndrome do pânico, estresse, fobias e ministra palestras em Maringá e região. CRP 08/21391

Comentários no Facebook